Do ou does: saiba quando usar e veja exemplos

“Do” ou “does”, como escolher? Na atualidade, aprender inglês virou quase uma obrigatoriedade, principalmente por causa dos anglicismos que se adaptaram à nossa língua. Diante disso, é muito comum que algumas dúvidas surjam, principalmente porque, no inglês, alguns termos podem ser muito semelhantes.

Diante do questionamento de quando usar “do” ou “does”, até mesmo alguns professores de inglês sofriam no início de suas carreiras, principalmente porque, na gramática, as variações e regras são muitas. Por isso, aproveite agora as dicas que serão passadas para exercitar o seu inglês.

Do ou does

Aprendendo sobre “Do”

O “do” é um verbo principal e, antes de mais nada, você precisa saber que, assim como muitas outras palavras da língua inglesa, ele possui vários significados, dependendo de um contexto para ser entendido. De maneira mais geral, o mais comum é que “do” signifique “fazer”.

Como exemplos, podemos tomar as seguintes frases:

  • Do the homework (Fazer a lição de casa);
  • Do a test (Fazer uma prova).

Nas frases acima, o verbo “do” possui significado de fazer, mas, em sua maioria, ele irá implicar em uma ação e, se depender de um contexto mais geral, terá um significado mais completo. Sigamos com alguns exemplos:

  • Do the dishes (Lavar a louça) – “Do” como “lavar”.
  • Do the hair (Pentear o cabelo) – “Do” como “pentear” ou “arrumar”.
  • Do food (Servir comida” – “Do” como “servir”.

De uma maneira mais geral, para facilitar o entendimento dos alunos e não complicar mais a situação, que já não está tão fácil, você vai entender o significado de “do” sempre que estiver aplicado a um contexto mais geral, pelas palavras que estão a sua volta.

Querendo ou não, aprender inglês tem desses momentos em que, infelizmente, você não pode modificar as regras para que elas se tornem mais fáceis. Por isso, a paciência deve vir em primeiro lugar e, aos pouquinhos, você vai conseguir pegar o jeito e se tornar um verdadeiro falante da língua inglesa.

Aprendendo sobre “Does”

Diferente do verbo “do”, verbo principal, que está no infinitivo, o verbo “does” nada mais é do que uma flexão do verbo “do” na terceira pessoa do singular (ele). Por isso, mesmo que seja muito técnico e dê um pouco de trabalho para aprender, é interessante saber um pouco de gramática portuguesa para saber fazer as associações.

No inglês, a terceira pessoa do singular poderá ser “he” (ele), “she” (ela), “it” (não possui significado de maneira isolada). Portanto, quando perceber que há a presença de algum desses artigos, já sabe: “does”!

Observe as frases abaixo:

  • He does the ironing (Ele passa a roupa);
  • She does a favor (Ele faz um favor);
  • He does his homework (Ele faz a tarefa de casa).

Outra regrinha que você precisa entender para conseguir utilizar “does” é que ele só irá aparecer no tempo verbal “Simples Present”, ou seja, você vai precisar saber qual é o verbo a ser utilizado e quais são todos os outros pronomes que poderão acompanhá-lo (I, you, he, she, it, we, you, they). O “Simple Present” também não admite modificação nos verbos e pode corresponder ao nosso presente.

Além disso, é válido perceber que “does” nunca será admitido diante de “I”, “you”, “we” e “they”, visto que não correspondem à terceira pessoa do singular, sendo reservados somente para a utilização diante do verbo “do”. Além disso, após o surgimento de um verbo modal (que incita modo), “does” jamais será admitido, sendo substituído por “do”.

Exemplo:

  • I will do my homework with my brother’s help (Farei meu trabalho de casa com a ajuda do meu irmão).

Outra informação importante que deve ser passada é que, enquanto flexões, “do” e “does” podem ser utilizadas em frases de cunho afirmativo, negativo e interrogativo.

Erros comumente cometidos

Como iniciantes na língua inglesa, é muito comum que cometamos deslizes e não precisa ficar tão preocupado caso isso aconteça. Dentre os erros mais comuns que envolvem a utilização de “do” ou “does” está em tentar traduzir os dois verbos em todas as sentenças nas quais são aplicados. Veja os exemplos:

  • Do you like studying English? (Você gosta de estudar inglês?);
  • The do not live here. (Eles não moram aqui);
  • He does not work on Friday. (Ele não trabalha às sextas-feiras).

O real motivo para que não possamos traduzir os dois verbos nas sentenças apresentadas é que eles estão apenas auxiliando o nosso entendimento para que saibamos que as sentenças são perguntas ou negações. Por isso, ambos serão considerados verbos auxiliares em casos como esses.

Em casos semelhantes aos apresentados anteriormente, costumamos dizer que o verbo “do” exerce função auxiliar, bem como suas derivações. Para entender melhor, veja mais exemplos de aplicação:

  • Do you live with your parents? (Você mora com os seus pais?);
  • He does not use his computer at home. (Ele não usa seu computador em casa);
  • They do not live together. (Ela não moram juntas).

Nas sentenças acima, não conseguimos traduzir, de maneira geral, o significado de “do” e “does”, visto que, como dito anteriormente, ambos possuem apenas uma função auxiliar para a sentença.

Informação importante: em frases com cunho interrogativo ou negativo, apenas o verbo “do” pode ser utilizado como verbo principal, sendo “does” auxiliar. Isso se dá devido a construção da frase ser realizada com verbo no infinitivo (do). Confira a aplicação no exemplo abaixo:

  • She does not do her exercises in the morning. (Ela não faz os exercícios dela de manhã). – Apenas “do” pode ser traduzido como verbo principal.

Do e Does como verbos auxiliares

Enquanto forem considerados verbos auxiliares, ou seja, aqueles que contribuem para a formação e complementação de uma frase, “do” e “does” serão substituídos por um verbo no infinitivo sem o “to”. Observe as frases abaixo:

  • He does not like chocolate (Ele não gosta de chocolate);
  • I do not understand Chinese (Eu não entendo chinês).

Nos exemplos apresentados acima, ambas as frases estão implicitamente no infinitivo, como “to like” e “to understand”, mas isso fica implícito de uma maneira que se deva prestar atenção para não cometer deslizes. Em frases negativas, também é possível usar as contrações “don’t” (do not) ou “doesn’t” (does not).

Deixe uma resposta