There is e There Are: Saiba quando usar essas expressões

Aprender inglês, atualmente, tem se mostrado muito útil. A maior parte do conteúdo que encontramos na internet é realizado com base em artigos na língua inglesa e, por isso, para que possamos traduzi-los, é necessário ter, pelo menos, um conhecimento básico. Pensando nisso, você sabe quando é a hora certa de usar “there is” e “there are”?

Além disso, erros gramaticais envolvendo a língua inglesa também são muito comuns e podem apresentar prejuízos em provas ou, até mesmo, se você estiver buscando o visto americano. Para não perder a prática e entender as diferenças, continue a leitura.

There is e There Are

There is e There Are

De uma maneira geral, ambas as expressões querem dizer “há” ou “existe”. No entanto, a única maneira de conseguir diferenciar ambos os casos é que um está no singular (there is) e o outro está no plural (there are). Mesmo que pareça simples após uma explicação, ainda há pessoas que confundem, principalmente quando a expressão, em português, substitui o verbo “haver” pelo verbo “ter” (que são equivalente a seu modo).

Veja o seguinte exemplo:

→ Have a dog behind you (Errado)
→ There is a dog behind you (Certo)
→ Tradução: Tem/Há um cachorro atrás de você

Quando o sentido do verbo é equivalente a “existir”, assim como no exemplo disposto acima, não é necessário usar “have”, pois não demonstra sentido de posse, bem como o verbo original solicita.

Além disso, “have” sempre deve ser usado acompanhado por um pronome.

Para que você não se confunda mais com um assunto tão simples, basta colocar na cabeça que “there is” e “there are” significam “há”, no sentido de “haver”. Confira mais dois exemplos apenas para conseguir fixar o conteúdo da melhor maneira.

→ “Tem uma casa em tal lugar” – “There is a house…”
→ “Tem um homem em algum lugar” – “There is a man…”

Seguindo a mesma lógica da explicação anterior, fica mais fácil entender que, se “there is” é singular, então “there are” é plural. A aplicação é sempre a mesma, em verbos com o sentido de “haver”.

Por isso, o mais indicado é que você entenda melhor qual é o contexto completo da frase para não acabar se perdendo.

O mais importante não é apenas compreender o assunto. Quando estamos estudando um novo idioma, de nada adianta apenas achar que ele foi assimilado e simplesmente deixar de lado. Por isso, se você entendeu como se usa “there is” e “there are”, comece a aplicar em frases para fixar melhor o conteúdo. Só assim você não esquece do que foi proposto.

Exemplos para fixação

Agora que você entendeu como funciona e quando os dois termos são utilizados, está na hora de partir para a prática. Dessa forma, além de estudar, você consegue incorporar um novo vocabulário, entendendo com muito mais facilidade a respeito do conteúdo. Confira, abaixo, os exemplos para fixação.

→ There are two cats on the table
→ Há (tem) dois gatos em cima da mesa.

→ There is a problem here.
→ Tem (há) um problema aqui.

→ There is a girl in the house.
→ Há (tem) uma garota dentro da casa

→ There are many countries across the world.
→ Há (Existem) muitos países pelo mundo.

Forma interrogativa dos verbos

Outro erro muito comum que as pessoas cometem quando estão estudando inglês é não dar muita bola para os verbos e expressões em forma interrogativa. Mesmo que no português seja fácil apenas inserir uma interrogação ao final da frase, é bom saber que no inglês as coisas não funcionam bem assim. Por isso, para entender melhor, o mais importante é pegar o conceito e logo colocá-lo na prática para não esquecer.

Quando falamos da forma interrogativa no inglês, estamos querendo dizer que haverá a necessidade de modificar o posicionamento das partículas. No caso de “there is”, ficará “is there” e no caso de “there are”, ficará “are there”. Para fazer com que as coisas funcionem na sua mente, veja, abaixo, alguns exemplos.

→ Is there a computer in the room?
→ Há um computador dentro do quarto?

→ Are there two computers in the room?
→ Há dois computadores dentro do quarto?

Dessa maneira, fica muito mais fácil compreender a maneira como os verbos e expressões funcionam no inglês. São pequenos exercícios que promovem maior fixação.
Forma interrogativa de “there is” e “there are”

Não precisa ficar assustado, a forma interrogativa das duas expressões também não é nada difícil. Então, se você já está achando que as coisas vão começar a se complicar, apenas mantenha a calma e preste bastante atenção nos exemplos que forem passados.

Na maior parte das palavras do inglês, podemos utilizar uma contração para indicar ação negativa, ou seja, colocar o (‘t) no final. Dessa forma, além de não alongar a frase, você tem total praticidade para estabelecer um diálogo ou escrever uma carta, bilhete, etc.

Abaixo, veja alguns exemplos para que as coisas fiquem mais claras na sua mente:

→ There is not a computer in the room. / There isn’t a computer in the room.
→ Não há um computador dentro do quarto.

→ There are not two computers in the room. / There aren’t two computers in the room.
→ Não há dois computadores dentro do quarto.

Viu como as coisas ficam bem mais fáceis quando você exercita? Pegue um texto que você gosta ou a letra de uma música que você escuta com frequência e comece a aplicar seus novos conhecimentos.

Também veja o que fazer em Maceió.

Erro comum

Outro cuidado importante que devemos ter ao estudar sobre “there is” e “there are” é que há um erro bastante comum que costuma ser difundido. Na verdade, essa é uma maneira de fixar o que foi dito no início desta explicação. Os verbos “ter” e “haver” não possuem o mesmo sentido de “have”, pois este último expressa ideia de posse.

Então, quando a frase mostrar um sentido de “existir”, o verbo “have” NUNCA deverá aparecer na sua composição. Isso é muito comum de acontecer e você pode perder uns belos pontinhos caso insista em usar.

Deixe uma resposta